img-book

A DINÂMICA DA CRIAÇÃO

O QUE FAZ AS PESSOAS SEREM MAIS ORIGINAIS

O que leva artistas a criar obras-primas e cientistas a desenvolver teorias revolucionárias? A criatividade é um reflexo da neurose ou ela surge a partir de um desejo de poder, riqueza, prestígio ou conquista sexual?
O psiquiatra Anthony Storr analisa o mecanismo da criatividade e o ser criativo a partir de uma crítica das teorias freudianas. Sustenta que, em vez de um instrumento  escapista – uma fuga para a fantasia, como defendeu Freud –, a atividade criativa é uma poderosa ferramenta de adaptação.
Para Storr, a criatividade é diferente de uma enfermidade estrutural de personalidade: uma pessoa pode ter uma psicopatologia maníaco-depressiva sem estar clinicamente enferma pelo fato de usar sua capacidade criativa para controlar seu mundo interno, isto é, como uma maneira saudável de lidar com essa psicopatologia.
Em A dinâmica da criação, são apresentados os motivos e condições que levam a atividade criativa a se manifestar. Nas palavras do autor, "talvez a criatividade esteja mais estreitamente associada ao que poderia ser chamado de ‘dinâmica do normal’ do que à psicopatologia, e talvez uma das fraquezas do pensamento psicanalítico atual seja o insucesso em estabelecer uma distinção suficiente entre o que é neurótico e normal tanto no terreno da criação quanto em outros contextos".
... + mais
Formatos Disponíveis Código do Produto Preço sugerido
LIVRO DIGITAL ISBN: 9788582400302 R$31,43
Sobre o Livro
Sinopse

O que leva artistas a criar obras-primas e cientistas a desenvolver teorias revolucionárias? A criatividade é um reflexo da neurose ou ela surge a partir de um desejo de poder, riqueza, prestígio ou conquista sexual?
O psiquiatra Anthony Storr analisa o mecanismo da criatividade e o ser criativo a partir de uma crítica das teorias freudianas. Sustenta que, em vez de um instrumento  escapista – uma fuga para a fantasia, como defendeu Freud –, a atividade criativa é uma poderosa ferramenta de adaptação.
Para Storr, a criatividade é diferente de uma enfermidade estrutural de personalidade: uma pessoa pode ter uma psicopatologia maníaco-depressiva sem estar clinicamente enferma pelo fato de usar sua capacidade criativa para controlar seu mundo interno, isto é, como uma maneira saudável de lidar com essa psicopatologia.
Em A dinâmica da criação, são apresentados os motivos e condições que levam a atividade criativa a se manifestar. Nas palavras do autor, "talvez a criatividade esteja mais estreitamente associada ao que poderia ser chamado de ‘dinâmica do normal’ do que à psicopatologia, e talvez uma das fraquezas do pensamento psicanalítico atual seja o insucesso em estabelecer uma distinção suficiente entre o que é neurótico e normal tanto no terreno da criação quanto em outros contextos".

Informações

Digital

ISBN: 9788582400302
Ano: 2013

Outros livros de: LITERATURA INTERNACIONAL